Conferência “Um Paço Real, uma Quinta de Recreio, um Castelo Romântico e uma Casa de Campo: Palácios de Sintra, Patrimónios e Museus”

Carregando Eventos

Conferência “Um Paço Real, uma Quinta de Recreio, um Castelo Romântico e uma Casa de Campo: Palácios de Sintra, Patrimónios e Museus”

Pelas 14h30 do dia 14 de maio, decorrerá a conferência online “Um Paço Real, uma Quinta de Recreio, um Castelo Romântico e uma Casa de Campo: Palácios de Sintra, Patrimónios e Museus”. O encontro, sujeito a inscrição prévia, será conduzido por António Nunes Pereira, arquiteto especializado em reabilitação de património.

A iniciativa é dirigida aos estudantes dos diferentes ciclos de estudos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, inscrevendo-se no recente protocolo celebrado com a Parques de Sintra – Monte da Lua, nas áreas da investigação, inventário, salvaguarda, preservação e divulgação do património histórico e artístico.

 

Nota da organização da iniciativa

Entre 2000, o ano da sua fundação, e 2012, a Parques de Sintra – Monte da Lua, S.A. (PSML), empresa de capitais exclusivamente públicos, recebeu para sua gestão quatro palácios, três dos quais com o estatuto de palácios nacionais, ou seja, antigos palácios reais com a função de palácios-museu.

Esta designação generalizada de “palácio” revela-se, contudo, redutora, pois igualiza objetos patrimoniais com características arquitetónicas, funções e vivências históricas muito diferentes. Partindo da apresentação dos Palácios Nacionais da Pena, de Queluz e de Sintra, assim como do Palácio de Monserrate, esta conferência tem por objetivo discutir uma terminologia histórico-arquitetónica adequada. Contribuindo para identificar novas vias de investigação, direcionadas para a especificidade destes edifícios, visa ainda promover a divulgação dos mesmos e, assim, um melhor entendimento por parte da comunidade e do público visitante. Só assim se harmonizará a gestão patrimonial e turística destes palácios com a missão da PSML: “gerir os mais importantes valores naturais e culturais situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz”, envolvendo “a sua recuperação, requalificação, revitalização, conservação, investigação, divulgação e exploração, abrindo-as à fruição pública e potenciando a sua valência turística”.

maio 14 2021