Barbara . De Mathieu Amalric

A carregar Eventos
  • Este evento já decorreu.

Barbara . De Mathieu Amalric

Uma atriz, Brigitte, irá interpretar num filme a icónica cantora Barbara. Brigitte trabalha a personagem de Barbara: a sua voz, as músicas e as canções, a imitação dos gestos, as falas. As coisas prosseguem. A personagem vai crescendo dentro dela. Começa mesmo a invadi-la. Yves, o realizador, também vai trabalhando – através de encontros, imagens de arquivo, a música. Parece inspirado por ela… Mas por quem? Pela atriz ou por Barbara?

“Mathieu Amalric está em estado de graça.”
★★★★★ L’Express

“Não escondemos o nosso entusiasmo: Barbara é um filme admirável!”
★★★★★ Positif

“Não se trata de imitar Barbara, trata-se de descolar-se dela como uma segunda pele para dar-lhe uma nova presença, fantasmagórica; e, de volta, Barbara surgirá por vezes no corpo de Balibar, como um exercício de exorcismo.”
★★★★ Cahiers du Cinéma

“Através de uma mise en abîme vertiginosa, Mathieu Amalric faz de Jeanne Balibar uma perturbadora Barbara do cinema.”
★★★★★ L’Humanité

“Como Barbara, Jeanne Balibar liberta uma aura misteriosa de pudor e sensualidade.”
Le Figaro

“O realizador e a actriz fingem estar perdidos entre a ficção de uma biografia filmada e a realidade de filmá-la, quando na realidade os dois guiam o espectador de forma muito segura pela vida e arte de Barbara.”
★★★★ Le Monde

“Um tributo afectivo não só para a falecida Barbara (1930-97), inimitável ícone da canção francesa, mas também para a estrela do filme, Jeanne Balibar, cujo brilhante desempenho é impulsionado aqui pela sua estranha semelhança física com a “Dame en noir”, como Barbara era chamada pelos seus admiradores.”
Screen International

“Balibar – cujo próprio trabalho como cantora foi objeto do documentário de Pedro Costa, Ne change rien – apresenta uma interpretação majestosa e extravagante como cantora dentro e fora do palco.”
Film Comment

“Magnífico.”
★★★★ Les fiches du Cinéma

“Qualquer canção traz imagens associadas, suscita aparições, alusões nas nossas mentes – como o próprio filme.”
★★★★★ Transfuge

“Através de construção elaborada e musical do filme, e graças a Jeanne Balibar (que outra actriz francesa poderia tê-lo feito?), Amalric conseguiu encontrar a essência desta sofisticação sincera, desta artificialidade honesta, que torna as canções de Barbara tão emocionantes e únicas.”
★★★★★ Libération

“A beleza de Barbara é não conhecermos muito bem a sua natureza. O filme foge um pouco dos diversos géneros e subgéneros. Ou então junta-os, que é o que lhe dá valor: não é nem um documentário, nem ficção (não é um biopic).”
★★★★★ Les Inrockuptibles

“Um retrato deslumbrante e muito fiel da extravagante Barbara.” ★★★★★ Le Nouvel Observateur

“Jeanne Balibar brilha com o seu talento.”
★★★★ 20 Minutes

“Um filme magnífico sobre o cinema, onde se desenha com pequenos toques o retrato da grande Barbara.”
★★★★★ Femme Actuelle

de Mathieu Amalric
com Jeanne Balibar, Mathieu Amalric, Vincent Peirani, Fanny Imber, Aurore Clement, Grégoire Colin
origem França, 2018
Festival de Cannes Un Certain Regard (Prémio Poesia Narrativa)

auditório TAGV
duração aprox. 1h37
a classificar

€4
€3
< 25, estudante, > 65, comunidade UC, grupo ≥ 10, desempregado, parcerias

Fevereiro 05 2018

Detalhes

Data: Fevereiro 5
Hora: 9:30 pm - 11:00 pm
Evento Categorias:

Local

TAGV

Praça da República
Coimbra, 3000-343 PT

+ Mapa do Google

Organizador

TAGV
Website: Visitar Website do Organizador